O Partido Socialista irá nortear a sua campanha pela capacidade de demonstrar a nossa vontade de continuar a resolver os problemas da nossa terra


Comissão de Ilha do PS/São Miguelaprova parecer sobre a lista de candidatos às próximas Eleições Legislativas Regionais

“Estamos com toda a normalidade a preparar um processo eleitoral em que o Partido Socialista tem de estar mobilizado e deve continuar a manter a capacidade de construir uma lista credível, reconhecida pelas Açorianas e Açorianos. Uma lista respeitada, com capacidade de vencer e que proporcione confiança”, afirmou esta sexta-feira o Secretário Coordenador do PS/São Miguel.

Francisco César, que intervinha na Comissão de Ilha em Vila Franca do Campo, sublinhou que, perante o atual contexto que vivemos, o Partido Socialista irá nortear a sua campanha pela capacidade de demonstrar a nossa vontade de continuar a resolver os problemas da nossa terra, de sermos capazes de nos reinventar a cada desafio com que somos confrontados e de mantermos a proximidade com o derradeiro objeto das nossas políticas, as pessoas, sendo este um dos aspetos diferenciadores dos demais partidos: “O PS foi, é e continuará a ser um partido que conhece, ao pormenor, os anseios e dificuldades da população, um partido que tem afetividade pelas pessoas e que tem um Presidente que é próximo das Açorianas e Açorianos”.

Nesse sentido, e ouvidas que foram as estruturas do partido, nomeadamente a Comissão de Ilha, o Secretariado de Ilha, e por seu intermédio as estruturas e secções do partido, foi apresentada a proposta relativa ao perfil de candidatos do PS/Açores pelo círculo eleitoral de São Miguel à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Assente nos critérios da representatividade e da proporcionalidade, afigura-se de extrema relevância que os candidatos do PS/Açores, “sejam cidadãos, com ou sem militância partidária, tenham uma ampla e reconhecida ligação às suas comunidades, sem prejuízo de, obviamente, subscreverem a Declaração de Princípios do Partido Socialista”, além de ser fundamental que o partido “continue a liderar um processo de ampla participação que contemple o objetivo de aumentar a participação feminina no conjunto da totalidade dos lugares efetivos da lista a apresentar”.

Além do mais, a Comissão de Ilha considera ainda “útil e desejável” que a lista a apresentar mantenha o critério de renovação que tem caracterizado o projeto político do PS/Açores.

Acrescenta ainda que a escolha dos candidatos deve ser conduzida com base em critérios, o mais objetivos possíveis, “com um pendor de elevada exigência quanto ao desempenho político”, tendo em consideração que este processo de elaboração de listas não é, em si mesmo, o fim de um ciclo, mas, pelo contrário, o início de um novo ciclo político, interno e externo, para o qual os candidatos do PS/Açores deverão contribuir, com a sua experiência e o seu saber, “para uma legislatura que se antevê como das mais exigentes em termos políticos dos últimos anos”.

O parecer, que foi aprovado por unanimidade, refere ainda a adoção do critério de abrangência territorial concelhia de forma a assegurar que todos os seis concelhos da ilha estejam representados na referida lista.

Os deputados municipais sociais-democratas consideram que é preciso “pôr fim à tremenda espera destes faialenses e também à desigualdade instalada entre as ilhas desta Região”


Horta. PS vota contra recomendação do PSD sobre regresso de faialenses retidos no continente


 
A Assembleia Municipal da Horta aprovou uma recomendação do Grupo Municipal do PSD sobre o regresso dos faialenses retidos no continente português à ilha do Faial, iniciativa que foi aprovada por maioria, contando com os votos contra da bancada do PS e a abstenção do deputado independente.

Em Portugal, a janela de verão abre a 1 de julho e encerra a 22 de setembro

A FIFA revelou, este domingo, todas as datas de abertura e de fecho das janelas de mercado de transferências nos diferentes países, para a temporada 2020/21.

Em Portugal, a janela de verão abre a 1 de julho e encerra a 22 de setembro.

A janela de verão costuma fechar no início de setembro, mas foi estendida devido à situação provocada pela pandemia da COVID-19, que obrigou a que esta temporada seja terminada mais tarde.

Quanto ao mercado de inverno, este começará em Portugal no dia 5 de janeiro de 2021 e terminará no dia 4 de fevereiro.

Continua dois casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2

A Autoridade de Saúde Regional informa que as 444 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da Região nas últimas 24 horas não revelaram novos casos positivos de COVID-19.

Até ao momento, já foram detetados na Região um total de 146 casos de infeção, verificando-se 128 recuperados, 16 óbitos e dois casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença COVID-19, ambos na ilha de São Miguel.

As medidas de prevenção e contenção da pandemia devem ser mantidas e reforçadas, sempre que possível, por cidadãos e organizações públicas, privadas e do setor social.

As comemorações são transmitidos ‘online’ e através da TV e rádio públicas

Dia da Região Autónoma dos Açores, contrariamente às comemorações do 25 de Abril, não será assinalado segunda-feira fisicamente, mas ‘online’, sem a tradicional imposição de condecorações e as sopas do Espírito Santo.

O formato desenhado entre a presidente da Assembleia Legislativa Regional dos Açores, Ana Luís, com os diferentes grupos parlamentares, e o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, contempla apenas intervenções de ambos, a partir da Horta, onde fica a sede do parlamento, e de Ponta Delgada, onde funciona a presidência do executivo, sendo estas transmitidos ‘online’ e através da TV e rádio públicas.

O Dia dos Açores foi instituído pelo parlamento açoriano em 1980, visando celebrar a autonomia política e administrativa da região, sendo celebrado na segunda-feira do Espírito Santo, também conhecida por Dia do Bodo ou Dia da Pombinha, devido à forte implantação destas festividades nas comunidades açorianas.

Segundo o gabinete de imprensa do Governo dos Açores, este é o formato “adequado aos condicionamentos que derivam do contexto da pandemia de COVID-19 na região”.

“Embora os Açores estejam já numa fase de levantamento das restrições que tiveram de ser determinadas por causa da pandemia, existe ainda um conjunto de recomendações e condicionamentos, desde logo no que respeita a agrupamentos de pessoas e às acessibilidades aéreas e marítimas entre as ilhas, que limitam, de forma determinante, a realização das comemorações desse dia no formato em que era habitual as mesmas terem lugar”, considera o executivo açoriano.

A cerimónia evocativa do Dia da Região inicia-se, às 11:00, com a intervenção do presidente do Governo, seguindo-se a intervenção da presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

A intervenção de Ana Luís será feita a partir da sede da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na cidade da Horta, enquanto que Vasco Cordeiro proferirá a sua intervenção no Palácio de Santana, na cidade de Ponta Delgada.

Os Hinos da Região Autónoma dos Açores e Nacional serão interpretados, em Angra do Heroísmo, pelo Coro Tibério Franco — Terra Chã

Açores vão retomar na sexta-feira, “de forma gradual”, as ligações aéreas interilhas, não havendo ainda data fechada para o regresso das ligações da SATA para o continente

SATA VAI CONTINUAR SEM VOAR PARA BOSTON, TORONTO, FRANKFURT E PRAIA ATÉ 30 DE JUNHO

Foto: SATA Azores Airlines

Foto: SATA Azores Airlines

O grupo SATA, detentor das transportadoras Azores Airlines e SATA Air Açores, vai continuar sem voar para Boston (EUA), Toronto (Canadá), Frankfurt (Alemanha) e Praia (Cabo Verde) até 30 de Junho, devido à covid-19.

Na sua intervenção a ministra referiu ainda a linha de crédito bonificada para apoiar o setor das flores no valor de 30 milhões de euros e a medida COVID FEADER”

Especificidades Açorianas impõem um acompanhamento do Governo da República, defendem deputados do PS/Açores

O deputado socialista João Castro reconheceu, durante a audição à Ministra da Agricultura, o período difícil que se vive a nível nacional, abordando na ocasião a realidade e especificidades açorianas para as quais lembrou também se impor um acompanhamento do Governo da República.