Uma mão cheia de vinhos e um azeite virgem extra

Quinta do Pôpa celebra (e convida a celebrar) o Natal com seis novidades

O Natal está a chegar e é tempo de nos invadirmos da luz e esperança tão próprias desta época. O sonho comanda a vida e, dia-a-dia, importa que ergamos os braços e criemos um Mundo cada vez melhor, celebrando cada gesto, por mais pequeno que seja. Uma máxima feita à medida da Quinta do Pôpa, projecto duriense que tem como motto a tríade de palavras(-chave) ‘Dream, Create, Celebrate’.

Imbuídos do lema que os move e do espírito natalício, os irmãos Stéphane e Vanessa Ferreira sugerem uma mão cheia de vinhos especiais – envergando novas colheitas – e o mais recente elemento da família – o azeite virgem extra – para celebrar o Natal. Perfeitos para a mesa, desfilando lado a lado com as típicas iguarias da Ceia de Natal, ou para oferecer, o desafio foi eleger uma emocionante selecção que vai, sem dúvida, deixar boas memórias, agora ou de futuro.

Abram-se as hostes com doçura, na companhia do ‘Pôpa Vinho Doce tinto’ (2019), a solo ou em maridagem com as entradas. Para acompanhar o famoso bacalhau ou o arroz de polvo, mais a Norte, um copo de ‘Pôpa Black Edition branco’ (2018) e, no prato, ‘Pôpa Azeite Virgem Extra Premium’ (2019). A tradição aponta, na carne, para o peru ou para o cabrito, idealmente acompanhados pelos tintos ‘Pôpa TN’ (2017) e ‘Quinta do Pôpa Homenagem’ (2015), respectivamente. Numa época doce, no espírito e na boca, nada melhor que terminar o jantar e seguir para a sala na companhia de uma garrafa de ‘Quinta do Pôpa Porto Vintage’ (2017).

Apenas um ou todos, estes e outros produtos da Quinta do Pôpa podem ser comprados em garrafeiras e lojas de Norte a Sul do país, mas também através do site www.quintadopopa.com, ao fazer-se membro do Pôpa Friends Wine Club, em http://www.quintadopopa.com/pt/wine-club/. Nota para o facto de os vinhos da Quinta do Pôpa serem Conscious & Vegan Friendly.

Cinco vinhos e um azeite, todos com a assinatura da Quinta do Pôpa

Pôpa Vinho Doce tinto 2019 (€18,50): Pioneira, a Quinta do Pôpa é detentora do primeiro vinho doce tinto no Douro. Naturalmente doce e com baixo teor alcoólico, é um tinto jovem, fresco e com aroma a mosto, o que nos remete para o tempo de vindima. Surpreendente, deve ser servido bastante frio e de forma descontraída.

Pôpa Black Edition branco 2018 (€14,20): Um branco cosmopolita no resultado, mas tradicional na criação: feito de mistura de castas em Vinhas Velhas e vinificado em lagar, com pisa a pé, e estágio em barrica. Vibrante e persistente, com estrutura e centro de boca memoráveis, taninos em evidência e final de boca longo.

Quinta do Pôpa Premium Azeite Virgem Extra (€17,50): Em 2019, a Quinta do Pôpa estreou-se como produtora de azeite. Desta edição limitada nasceram 600 garrafas. Resultado das variedades Cobrançosa e Verdeal, o primeiro azeite da Quinta do Pôpa apresenta um perfil elegante, perfeito para finalizar empratamentos com alimentos de intensidades médias baixas, sopas várias e pratos de forno.

Pôpa TN tinto 2017 (€18,00): Um Touriga Nacional em estreme, que provém de uma parcela selecionada e começa a ser desenhado na poda, sofrendo uma intervenção mínima na adega. Com um perfil fresco, complexidade q.b. e finesse, é lançado apenas em anos de excepção (para aquela vinha), reflecte o terroir e o clima do ano em questão.

Quinta do Pôpa Homenagem tinto 2015 (€45,00): Depois das edições de 2009, 2011 e 2013, é agora tempo de transportar para a colheita de 2015 a mais um gesto de merecida homenagem ao grande sonhador, o avô (Zeca do) Pôpa. O ex-libris da Quinta do Pôpa reúne em si a tríade de castas Tinta Amarela, Touriga Nacional e Touriga Franca. Um poderoso Douro com estágio em barricas de carvalho francês, que concentra em si o melhor da vinha, da adega e das pessoas que nele trabalham da vinha ao copo.

Quinta do Pôpa Porto Vintage 2017 (€52,40): Da homenagem (ao avô) ao tributo (ao pai), os irmãos Pôpa sempre tiveram o caminho bem definido. De olhos postos no vinho do Porto, o início do projecto deu-se com vinhos DOC Douro. Depois de 2016, 2017 enverga a segunda colheita deste licoroso que se destaca pela baixa doçura quando comparado com os seus pares. Equilibrado e fresco, com excelente estrutura, fruta intensa, expressiva e muito pura.

“Acontece que, agora, em novembro, o apoio salarial extraordinário não está a ser atribuído, uma vez que a legislação não visa o ano letivo 2020/21, mas sim o anterior (2019/20)”, explica Paulo Moniz.

Paulo Moniz chama com urgência Ministra da Solidariedade e Segurança Social à Comissão


 


O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República Paulo Moniz pediu hoje a audição urgente da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social na respetiva Comissão para esclarecer “a falta de apoios aos pais e encarregados de educação do arquipélago a prestar assistência aos filhos, devido ao encerramento de escolas, em consequência da pandemia da Covid-19”.
 
A chamada de Ana Mendes Godinho à Comissão de Trabalho e Segurança Social “justifica-se com o facto de o atual fecho das escolas acontecer pelas mesmas circunstâncias verificadas em março passado, quando foi criada uma medida nacional de apoio excecional à família para trabalhadores”, recorda o social democrata.
 
“Acontece que, agora, em novembro, o apoio salarial extraordinário não está a ser atribuído, uma vez que a legislação não visa o ano letivo 2020/21, mas sim o anterior (2019/20)”, explica Paulo Moniz.
 
“Tem de ser revalidado e atualizado com urgência o calendário letivo que suporta as prestações deste apoio social, para que todos os trabalhadores, públicos, privados ou independentes, com filhos em escolas encerradas, sejam ajudados”, considera o deputado açoriano.
 
“Já são muitas as escolas encerradas nos Açores”, afirma Paulo Moniz, para quem “é urgente corrigir uma situação que devia ter sido prevista, pois os pais e encarregados de educação têm agora de lidar com a instabilidade de não saber a que remuneração terão direito”.
 
“Aliás, os próprios empregadores desconhecem a que apoios os seus trabalhadores têm direito na assistência a filhos, em consequência do encerramento de escolas por causa da pandemia”, reforça Paulo Moniz.
 
“Cabe ainda ao Governo da República garantir o referido apoio em tempo útil também aos pais cujos filhos não estão em isolamento profilático nem são casos positivos, mas que têm naturalmente de ficar em casa a prestar-lhes assistência, não exercendo teletrabalho, devido ao encerramento total dos estabelecimentos de ensino”, concluiu o social democrata.

Paulo Moniz chama com urgência Ministra da Solidariedade e Segurança Social à Comissão


 
O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República Paulo Moniz pediu hoje a audição urgente da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social na respetiva Comissão para esclarecer “a falta de apoios aos pais e encarregados de educação do arquipélago a prestar assistência aos filhos, devido ao encerramento de escolas, em consequência da pandemia da Covid-19”.
 
A chamada de Ana Mendes Godinho à Comissão de Trabalho e Segurança Social “justifica-se com o facto de o atual fecho das escolas acontecer pelas mesmas circunstâncias verificadas em março passado, quando foi criada uma medida nacional de apoio excecional à família para trabalhadores”, recorda o social democrata.
 
“Acontece que, agora, em novembro, o apoio salarial extraordinário não está a ser atribuído, uma vez que a legislação não visa o ano letivo 2020/21, mas sim o anterior (2019/20)”, explica Paulo Moniz.
 
“Tem de ser revalidado e atualizado com urgência o calendário letivo que suporta as prestações deste apoio social, para que todos os trabalhadores, públicos, privados ou independentes, com filhos em escolas encerradas, sejam ajudados”, considera o deputado açoriano.
 
“Já são muitas as escolas encerradas nos Açores”, afirma Paulo Moniz, para quem “é urgente corrigir uma situação que devia ter sido prevista, pois os pais e encarregados de educação têm agora de lidar com a instabilidade de não saber a que remuneração terão direito”.
 
“Aliás, os próprios empregadores desconhecem a que apoios os seus trabalhadores têm direito na assistência a filhos, em consequência do encerramento de escolas por causa da pandemia”, reforça Paulo Moniz.
 
“Cabe ainda ao Governo da República garantir o referido apoio em tempo útil também aos pais cujos filhos não estão em isolamento profilático nem são casos positivos, mas que têm naturalmente de ficar em casa a prestar-lhes assistência, não exercendo teletrabalho, devido ao encerramento total dos estabelecimentos de ensino”, concluiu o social democrata.

Governo agrava as multas em local de trabalho

Recolher obrigatório, proibição de circular e uso de máscara.

O que muda a partir de hoje

Recolher obrigatório, proibição de circular e uso de máscara

Portugal entrou às 0h desta terça-feira num novo estado de emergência devido à pandemia de covid-19, passando os 278 municípios do continente a estar divididos em quatro grupos, consoante os níveis de risco de transmissão.

As multas por falta de mascara em local de trabalho são:

Para trabalhador 350€

Para empresa 2000€

Coronavírus / Covid-19

O novo estado de emergência, que vai prolongar-se até às 23h59 de 8 de dezembro, impõe novas medidas consoante o nível de risco por concelho, que poderá ser “moderado,” “elevado”, “muito elevado” ou “extremamente elevado”, bem como restrições para todo o país.

Eleições presidenciais para 24 de janeiro de 2021

MARCELO REBELO DE MARCA ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS PARA 24 DE JANEIRO

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, intervém na iniciativa “Desportistas no Palácio de Belém” com a presença do ex-futebolista Luís Figo (não aparece), que tem como objetivo aprofundar o interesse dos jovens pelas diferentes modalidades desportivas, através de encontros entre alunos e desportistas, no antigo Museu dos Coches, em Lisboa, 29 de outubro de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, marcou eleições presidenciais para 24 de janeiro de 2021.

«Nos termos previstos na Constituição e na Lei Eleitoral, o Presidente da República assinou hoje o decreto que fixa para domingo 24 de janeiro de 2021 as eleições presidenciais, o qual seguiu já para publicação em Diário da República», lê-se em nota divulgada no portal da Presidência.

Santa Clara e Fontinhas passa à quarta eliminatória

TAÇA: 28 CLUBES JÁ SE QUALIFICARAM PARA A QUARTA ELIMINATÓRIA

Confira o quadro de resultados da terceira eliminatória


Este ano bem diferente do habitual, devido à pandemia de covid-19 que tem afastado os adeptos no estádio por ordem do governo.

A terceira eliminatória da Taça de Portugal já deu a conhecer 28 clubes que seguem em frente na prova:

Gil Vicente, Famalicão, FC Porto, Sporting, V. Guimarães, Sp. Braga, Benfica, Tondela, Santa Clara, Moreirense, Rio Ave, Paços de Ferreira, Boavista, Marítimo, Belenenses e Sporting (Liga), Leixões, Ac. Viseu, Cova da Piedade e Académica (II Liga), Amora, União de Leiria, AD Fafe, Fontinhas, Anadia, Sp. Espinho, Torreense, Montijo e Salgueiros (Campeonato de Portugal).

TODOS OS JOGOS, APURADOS E RESULTADOS

Sexta-feira:

Oleiros-Gil Vicente, 0-0, 2-4 gp

União de Leiria-Portimonense, 1-0

Feirense-Amora, 0-1
Oriental-Famalicão, 0-3

Oriental Dragon-Leixões, 0-0, 3-4 gp 

Montalegre-Ac. Viseu, 2-3

Fabril-FC Porto, 0-2

Marinhense-Cova da Piedade, 1-1, 3-5 gp

Arouca-Vitória de Guimarães, 0-0, 6-7 gp

Trofense-Sp. Braga, 1-2

Paredes-Benfica, 0-1

Fafe-Vilar Perdizes, 5-1

Limianos-Fontinhas, 1-2

Anadia-Pinhalnovense, 2-1

Sp. Espinho-Gondomar, 2-1

Torreense-Alverca, 2-0

Vilaverdense-Montijo, 2-3

Felgueiras-Tondela, 0-1

Beira Mar-Santa Clara, 1-3

Merelinense-Moreirense, 0-1

Monção-Rio Ave, 1-2

Oliveirense-Paços de Ferreira, 0-4

Vizela-Boavista, 0-1 a.p.

Salgueiros-Sp. Covilhã, 2-1

Penafiel-Marítimo, 2-3 a.p.

Real Massamá-Belenenses, 16h45

Académica-Varzim, 1-0

Sacavenense-Sporting, 1-7


Quarta-feira

Casa Pia-Nacional, 10h00

Quinta-feira, dia 3 de dezembro

Estrela da Amadora-Farense, 14h30


Quarta-feira, dia 9 de dezembro

Vilafranquense -Sanjoanense, 18h00

Estoril-Lusit. Évora, 21h00

Governo dos Açores tomará posse na terça feira 24 de novembro

Está composto o XIII governo regional dos Açores

PRESIDENTE – José Manuel Bolieiro

CHEFE DE GABINETE – Paulo Nascimento Cabral

VICE-PRESIDENTE E ASSUNTOS SOCIAIS – Artur Lima.

SECRETÁRIO DOS ASSUNTOS PARLAMENTARES – Pedro Faria e Castro.

SECRETÁRIO DO TURISMO E TRANSPORTES – Alberto Mota Borges.

SECRETÁRIO DA COESÃO, JUVENTUDE, EMPREGO E QUALIFICAÇÃO – Duarte Freitas

SECRETÁRIO DAS FINANÇAS – Bastos e Silva.

SECRETÁRIO AMBIENTE, TRANSIÇÃO ENERGÉTICA E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS – Alonso Miguel

SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO – Sofia Ribeiro.

SECRETÁRIO DA SAÚDE E DESPORTO – Clélio Meneses .

SECRETÁRIO DA AGRICULTURA – Antonio Ventura.

SECRETÁRIA DAS OBRAS PÚBLICAS E HABITAÇÃO – Ana Carvalho

SECRETARIA DA CULTURA, CIENCIA E TRANSIÇÃO DIGITAL – Susete Amaro.

SECRETÁRIO DO MAR – Manuel São João

SECRETÁRIO DAS RELAÇÕES EXTERNAS – Carlos Amaral

O novo governo tomará posse na próxima terça-feira, 24 de novembro de 2020 pelas 15horas na sede da

Fontinhas com mais um ponto

CP Série “G” – 5.ª JORNADA


Complexo Desportivo Dr. Durval Monteiro.
Árbitro: João Santos (AF Coimbra).
Assistentes: Rui Sá e Nuno Severa.

Ao intervalo: 1-0.

FONTINHAS 1
Rafa Santos
Diogo Careca
(Luciano Serpa, 28m)
Diogo Moniz
Breno Freitas
Itto Cruz
Agostinho Cá
(Jordanes Medeiros, 59m)
João Peixoto (Cap.)
Josimar Stebh
Danny Esteves
Neto Menacho
(Edelino Ié, 55m)
Bruno Mendonça

NÃO UTILIZADOS
Gonçalo Santos, Moisés Fernandes, João Dias e Gustavo Martins.
TREINADOR
Francisco Agatão.

REAL MASSAMÁ 1
Filipe Mendes
Rodrigo Moitas
(Vítor Sanches, 55m)
Ibraim Cassamá (Cap.)
Ballack
Mateus Fonseca
(Rodrigo Martins, 89m)
Romário Carvalho
Daniel Almeida
André Salvador
(Rui Batalha, 68m)
Diogo David
Marcos Barbeito
Carlos David

NÃO UTILIZADOS
Catalin Moraru, Pedro Pedroso e João Gabriel.
TREINADOR
Hugo Martins.

Disciplina: amarelos para Bruno Mendonça (73m), Breno Freiras (86m) e Josimar Stebh (90m+1); Daniel Almeida (70m) e Ibraim Cassamá (90m+4).
Marcadores: Breno Freitas (36m); Carlos David (87m, GP).