As ilhas do Pico, com uma adesão de 2,.6%, seguindo-se a Terceira com 22,2%, e São Jorge com 18,9% foram as que registaram maior número de candidaturas aprovadas

Governo apoia agricultores para melhoria da fileira da carne nos Açores

A Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, através da Direção Regional da Agricultura, apoiou ao longo deste ano, com um montante superior a 181 mil euros, cerca de 212 candidaturas, oriundas de todas as ilhas do arquipélago, para a aquisição de reprodutores bovinos de raças produtoras de carne.

As ilhas do Pico, com uma adesão de 2,.6%, seguindo-se a Terceira com 22,2%, e São Jorge com 18,9% foram as que registaram maior número de candidaturas aprovadas, enquanto que em São Miguel – ilha com maior tradição na produção leiteira – verificou-se o maior crescimento comparativamente ao ano anterior, um acréscimo de 67%, atendendo à reconversão de explorações de leite para carne.

O incentivo financeiro atribuído pelo Governo Regional dos Açores visa dar continuidade ao fomento da qualidade e da melhoria genética do efetivo bovino para a produção de carne nos Açores, em conjunto com a proteção da sanidade animal, bem como apoiar a produção eficiente de carne com maior valor comercial, através da aquisição de efetivos de raça pura dentro de exigências de rigor zootécnico, sobretudo quando essa aquisição é efetuada fora da Região, de forma a melhorar os núcleos de raças puras locais.

O apoio pretende, ainda, estimular a comercialização de reprodutores bovinos puros de carne oriundos de explorações da Região, dinamizando também a economia regional.

Assim, e no que concerne à portaria que regula o quadro de incentivos financeiros destinados à aquisição de reprodutores bovinos de raças produtoras de carne foram alvo de apoio quatro raças, nomeadamente a Limousine, que representa 36,8% das aquisições feitas em 2021, a Aberdeen Angus 35,8%, a Charolesa 22,6% e a Simmental Fleckvieh 4,8%.

É de realçar que, em 2021, 90% dos reprodutores bovinos de raças produtoras de carne foram comprados na Região e apenas 10% foram adquiridos fora do arquipélago, o que representa um decréscimo de 5% em relação ao ano transato.

É ainda de referir que, nas aquisições de reprodutores, no âmbito deste regime de apoio, contabilizaram-se 118 movimentos/deslocações de bovinos, o que significa que cerca de 55% do total de bovinos foram adquiridos noutra ilha da Região 45% ou em muito menor escala, no território do continente 10%.

Está é uma situação que está associada, sobretudo, à necessidade imperiosa de, em termos zootécnicos, rodar animais entre explorações com vista a minimizar a consanguinidade e a aumentar a diversidade genética das explorações de bovinos de carne no arquipélago.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s