Primeira aguardente vínica com certificação DOC do Tejo é monocasta de Fernão Pires e XO 20 Anos

Com a assinatura da Quinta da Atela e feita pelo método de Cognac

 

Foi esta semana apresentada oficialmente aquela que é a primeira aguardente vínica com selo de qualidade e certificação DOC do Tejo, garantia atribuída pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVRTejo). Produzida pela Quinta da Atela, em Alpiarça, e sob a marca ‘Capela da Atela’, insere-se na categoria Velhíssima ou Extra Old (XO), com 20 Anos. Tem ainda a particularidade de ser feita predominantemente com uvas da casta Fernão Pires, o que lhe confere o “estatuto” de monovarietal.

 

Para Luís de Castro, presidente da CVRTejo, este é “mais um passo na valorização do território, dos seus produtos e pessoas, sendo que a actividade económica depende inteiramente desta tríade. Estamos perante uma aguardente peculiar, pela sua idade, extrema pureza e sabor”.

 

A excelência da ‘Capela da Atela Aguardente Vínica Velhíssima XO 20 Anos’ começa na vinha, uma ‘vinha velha’ com predominância de Fernão Pires (87%) – e presença de outras castas, como Boal de Alicante, Tamarez e Tália, em pequenas percentagens. Situada em frente ao actual espaço de enoturismo da Quinta da Atela foi, infelizmente, extinta. Uma cuidadosa selecção dessas uvas, vindimadas precocemente, deu origem a um vinho jovem, pleno de acidez, frescura e aromas exuberantes. Depois da fermentação alcoólica, este vinho foi destilado e resdestilado em alambique de “Charantais” – a fogo directo em pote –, uma técnica ancestral típica da região de Cognac, em França. Um trabalho de mestria, feito por um destilador com décadas de experiência nesta técnica, que imprime à aguardente uma finesse, elegância e complexidade não comparada a outras e que consegue traduzir muito melhor a matéria-prima que lhe dá origem. Após redestilação, a aguardente estagiou, durante cerca de 20 anos, em barricas novas de carvalho francês “Limousin” e português, com capacidade de 225 litros.

 

Segundo António Ventura, enólogo da Quinta da Atela, esta é uma aguardente de grande nobreza, com uma cor âmbar profunda e evidência de notas de frutos secos e especiarias finas, no nariz. Na boca, é sedosa e envolvente, com um final longo e de enorme persistência. Ideal para complementar o final de uma refeição com todo o requinte e prazer. Deve ser servida, de preferência, em copo de balão e a uma temperatura entre os 16 e 18.ºC.

 

Distinta pela sua singularidade e sabor, a ‘Capela da Atela Aguardente Velhíssima XO 20 Anos’ está disponível numa packaging a condizer, em que a garrafa tem capacidade de 700 ml. O preço de venda ao público é de €196,80 euros e estará à venda, ainda a tempo do Natal, em lojas selecionadas e garrafeiras.

 

O nome e os elementos presentes no rótulo desta aguardente são inspirados, como o nome indica, na capela da Quinta da Atela, tendo partido de uma ideia do jornalista Fernando Melo, eleito como “o padrinho” deste novo produto da região do Tejo.

 

O parlamento dos Açores aprovou um voto de congratulação pelo Dia Internacional dos Direitos Humanos

Parlamento saúda defesa dos Direitos Humanos

O parlamento dos Açores aprovou um voto de congratulação pelo Dia Internacional dos Direitos Humanos por proposta do Bloco de Esquerda. Alexandra Manes salienta que é preciso combater “a exclusão e a discriminação, onde se inclui o discurso do ódio contra etnias, classes sociais, géneros e orientações sexuais”, que são “potenciadoras de conflitos e de crise”.

A deputada do Bloco lembra que 73 anos depois da instituição do Dia Internacional dos Direitos Humanos, “o racismo, a xenofobia e as discriminações associadas continuam a existir em todas as sociedades, em todas as partes do mundo” e que “a discriminação, divisão, falta de confiança, intolerância e ódio prejudicam não apenas as vidas das suas vítimas diretas, mas também a sociedade no seu todo”.

“Os direitos humanos não são uma ideia abstrata e longínqua no tempo e no espaço. Abordar estes assuntos de forma efetiva requer a participação de todas e todos e um compromisso político renovado aqui e agora”, disse também Alexandra Manes.

O voto, aprovado por unanimidade, refere ainda que “os direitos sociais, económicos, culturais e ambientais são centrais para uma economia baseada nos direitos humanos que promova uma maior sustentabilidade para as gerações presentes e futuras”.

Nuno Barata afirmou que o aumento dos rendimentos dos trabalhadores redunda sempre numa economia mais forte e pujante

Defende Nuno Barata, Iniciativa Liberal

Aumento dos rendimentos dos trabalhadores redunda sempre em melhor economia

O Deputado da Iniciativa Liberal no Parlamento Açoriano, Nuno Barata, afirmou, esta quinta-feira, que o aumento dos rendimentos dos trabalhadores redunda sempre numa economia mais forte e pujante, lamentando que as políticas de esquerda que tem vindo a ser praticadas estejam a contribuir apenas para o aumento da emigração de quadros qualificados e para o nivelamento por baixo dos salários.
Na sequência de uma intervenção do BE, o parlamentar Liberal disse vivermos “uma situação extraordinária”, uma vez que “vivemos numa Região onde se procura mão de obra, mas cada vez se paga pior aos trabalhadores”, facto agravado com as sucessivas atualizações do salário mínimo nacional que “só promove um nivelamento, por baixo, do nível de rendimentos das pessoas, particularmente os mais qualificados e que têm mais formação”.
Barata lembrou que “um técnico superior da administração pública tem os seus rendimentos congelados desde 2010”, facto que contribui para “uma sangria de quadros qualificados do País e da Região”, não sendo, pois, de estranhar “que se registem falta de professores, falta de enfermeiros, falta de técnicos qualificados em alguns setores”.
“O problema é esta tendência política de impor mínimos. E quando se impõem mínimos ficamos sempre por baixo. Não haja receio de deixar o mercado funcionar mais livremente. Nos últimos 10 anos, um licenciado perdeu, em média, 47 euros de rendimentos todos os anos, quando comparado com um trabalhador com o 9.º ano de escolaridade que viu o seu vencimento aumentar em 18%, ou seja, em mais de 100 euros”, apontou.
O Deputado da Iniciativa Liberal (IL) considera, por isso, que é essencial que “todos os agentes façam um esforço para poupar onde é gasto excessivo para pagar aos trabalhadores de acordo com aquilo que os trabalhadores precisam para ter uma vida condigna, mesmo tendo presente que um aumento de rendimentos na administração pública acarreta um aumento de despesa pública, aumento esse com repercussão económica, pois um aumento dos vencimentos redunda sempre num aumento da receita, porque quem ganha 800 euros por mês se passar a ganhar 1000, certamente que vai consumir para esses 1000, pelo que os aumentos salariais vão regressar ao circuito e voltar a entrar no Estado através da receita de IVA, mas também de IRS e de IRC”.
Assim, Nuno Barata não tem dúvidas que “há a necessidade de se pagar mais e melhor aos funcionários, públicos e privados, para que ter funcionários mais motivados, mais produtivos e para se obterem melhores resultados aos níveis sociais e económicos”.

Vasco Viveiros explicou igualmente que, no que toca ao transporte marítimo interilhas de passageiros

Coesão regional. Açores “estão melhor agora” do que com governação anterior


 
O vice-presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores, António Vasco Viveiros, considerou esta manhã que, “em matéria de coesão regional, podemos afirmar, após um ano de governação da atual coligação, que estamos melhores agora do que com a governação anterior”, disse.
 
O social democrata sublinhou que a coesão regional “é uma condição para a qual, quer o nosso grupo parlamentar, como naturalmente o governo, têm trabalhado, no sentido de proporcionar as melhores ofertas de mobilidade, devidamente sustentada, aos açorianos”, deu como exemplo.
 
O deputado realçou “as enormes vantagens trazidas pela criação da tarifa Açores, que tem permitido a ligação aérea entre as várias ilhas a um preço acessível. E cujo sucesso está comprovado pelo grande aumento da procura, que levou também ao aumento da oferta por parte da SATA regional”, referiu.
 
“Foi criada uma alternativa, durante todo o ano, mesmo para os passageiros que recorriam ao transporte marítimo, que permite viajar em condições muito mais vantajosas, através da via aérea”, reforçou.
 
“O governo regional está também a trabalhar na garantia da maior justiça possível para os passageiros açorianos, nomeadamente que não sejam prejudicadas as ilhas que não recebem voos das companhias lowcost, mas naturalmente precavendo aquela que é a sustentabilidade financeira que se pretende para a SATA Air Açores. Esse é um desafio que se nos coloca e ao qual será dada a melhor resposta”, disse.
 
Também no que se refere à mobilidade “e aos encaminhamentos, um assunto que o PS insiste em utilizar como arremesso político, temos de recuar às opções do anterior governo regional, que comunicava às instâncias europeias o encaminhamento de passageiros residentes quando, de uma forma genérica, aplicou a medida a todos os passageiros”, adiantou o social democrata.
 
E acrescentou que “é preciso relembrar que o encaminhamento se aplica apenas aos voos de e para o continente português, e não aos voos internacionais, ou seja, com origem noutras partes da Europa ou nos Estados Unidos”.
 
Vasco Viveiros explicou igualmente que, no que toca ao transporte marítimo interilhas de passageiros, “a linha sazonal – amarela – da Atlânticoline sofreu alterações transitórias, durante dois anos, estando em estudo novas opções, que sejam compatíveis em termos económicos, com as necessidades de cada uma das ligações e respetivas ilhas”, concluiu.

Tolerância de ponto nos dias 24, 26 (para os colaboradores que prestam serviço neste dia) e 31 de dezembro

Câmara de Ponta Delgada concede tolerância de ponto a 24, 26 e 31 de dezembro

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, determinou conceder tolerância de ponto a todos os colaboradores ao serviço da autarquia, Serviços Municipalizados de Água e Saneamento e Setor Empresarial Local nos dias 24, 26 (para os colaboradores que prestam serviço neste dia) e 31 de dezembro.


A exceção vai, como habitualmente, e por motivos operacionais, para os colaboradores da Polícia Municipal e para os que estão afetos aos serviços de Higiene e Limpeza e ao Cemitério de São Joaquim escalados para aqueles dias, sem prejuízo da respetiva compensação.


No despacho, o Presidente da Câmara Municipal refere que a tolerância de ponto é concedida tendo em conta a vivência familiar da quadra festiva do Natal.

Criado grupo de trabalho para elaborar Plano de Revisão das Funcionalidades dos Serviços de Desenvolvimento Agrário das nove ilhas dos Açores

O Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, anunciou hoje a criação de um grupo de trabalho para a elaboração de um Plano de Revisão das Funcionalidades dos Serviços de Desenvolvimento Agrário de Ilha, através da Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, no âmbito da prestação de serviços de experimentação, demonstração, informação, apoio técnico e administrativo aos agricultores e outros serviços prestados por estes.

“É o momento de rever as funcionalidades dos serviços de ilha, de forma a melhorar a proximidade, aumentar a transmissão do conhecimento, revisitar as valências, concentrar sinergias técnicas e financeiras, e traçar objetivos no âmbito da experimentação e demonstração”, garante António Ventura.

O presente despacho produz efeitos a partir de 1 de janeiro de 2022, em que o documento previsto no n.º 1 do presente despacho deverá estar concluído no prazo máximo de 120 dias a contar da data de produção de efeitos do mesmo.

De acrescentar que o grupo de trabalho será composto por vários elementos do Serviço de Desenvolvimento Agrário de São Miguel, da Terceira, do Faial, do Pico, de São Jorge, de Santa Maria, da Graciosa, das Flores e do Corvo, em representação dos respetivos serviços da Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural.

PSP AÇORES procedeu-se à apreensão de 1154 doses de Liamba evd1,57 gramas de substância sintética mais de 306 euros em valor monetário e diversa parafernália diretamente relacionada com o ilícito

DIVISÃO POLICIAL DE PONTA DELGADA

 A Polícia de Segurança Pública, através da Divisão Policial de Ponta Delgada, por intervenção dos polícias da Esquadra do Nordeste, na sequência da execução de mandados de busca e apreensão, procedeu à detenção, em flagrante delito, de um cidadão, de 57 anos, na freguesia da Achada, do concelho do Nordeste, pela presumível suspeita da prática do crime de tráfico de estupefacientes.

 

No âmbito de uma investigação a cargo da Brigada de Investigação Criminal da Esquadra do Nordeste, foram recolhidos vários elementos de prova que apontavam para a suspeita do cenário de tráfico de estupefacientes, principalmente substância sintética, sendo notório um fluxo anormal de toxicodependentes que indiciavam a ocorrência de tráfico de droga nessa zona.

 

Em resultado das diligências, e no seguimento da execução dos mandados, emanados pela Autoridade Judiciária competente, procedeu-se à apreensão de 1154 doses de Liamba, 1,57 gramas de substância sintética, mais de 306 euros em valor monetário e diversa parafernália diretamente relacionada com o ilícito criminal.

 

Ao detido foi-lhe aplicado a medida de coação de Termo de Identidade e Residência. 

 

O Comando Regional da PSP dos Açores relembra que o consumo de Canábis aumenta significativamente o risco para a saúde mental dos utilizadores, apresentando-se, muitas vezes, como uma droga de iniciação entre os mais jovens que posteriormente acabam por enveredar pelo consumo de drogas mais duras, nomeadamente de heroína e das, vulgarmente, designadas por drogas sintéticas.

 

a adjudicação feita à empresa TREPA – Construção Civil, Lda. terá um prazo de execução de 540 dias

Secretaria Regional das Obras Públicas e Comunicações assina contrato de consignação para empreitada de reabilitação do Centro de Saúde de Velas

A Secretaria Regional das Obras Públicas e Comunicações procede amanhã, terça-feira, às 11h00, ao auto de consignação da empreitada de reabilitação e beneficiação do edifício do Centro de Saúde de Velas, na ilha de São Jorge, que envolverá o valor de 2.540.509,33 milhões de euros.

A empreitada prevê, além de trabalhos de construção civil, as especialidades de águas e esgotos, fundações e estruturas, gases medicinais, instalações elétricas, instalações mecânicas e ar condicionado, telecomunicações e segurança contra incêndios.

Nesse sentido, a adjudicação feita à empresa TREPA – Construção Civil, Lda. terá um prazo de execução de 540 dias e, mediante a necessidade de manutenção do funcionamento do Centro de Saúde, a obra será dividida em quatro fases distintas.

Através do Diretor Regional das Obras Públicas e dos Transportes Terrestres, Pedro Azevedo, será presidida uma cerimónia de assinatura do auto de consignação da empreitada de reabilitação e beneficiação do edifício do Centro de Saúde de Velas.

Presentemente, o Centro de Saúde funciona num edifício de características conventuais, de igreja e claustro, e a intervenção a ser realizada junto à igreja tem por objetivo conceber as condições necessárias à implementação de uma Unidade de Saúde.

De relembrar que o edifício foi sujeito a obras de ampliação, na década de 1980, encontrando-se inserido na malha urbana da vila das Velas.

promoção no dia 21 de dezembro pelas 11h00 a realização do 4.º encontro do clube cinéfilo “Soldado do Futuro” dinamizado pela secção infantojuvenil da Biblioteca Pública de Angra do Heroísmo

Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital dinamiza 4.º Encontro do clube cinéfilo “Soldado do Futuro” na Biblioteca de Angra

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, por via da Direção Regional da Cultura (DRC), através da Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro (BPARLSR), promove no dia 21 de dezembro, pelas 11h00, a realização do 4.º encontro do clube cinéfilo “Soldado do Futuro”, dinamizado pela secção infantojuvenil da Biblioteca Pública de Angra do Heroísmo.

Destinado a jovens dos 12 aos 16 anos, a iniciativa consiste no visionamento de um filme que problematiza temas fraturantes, com vista a desencadear debate sobre o mesmo.

Desta forma, pretende-se promover não só uma cultura cinéfila, como também uma reflexão que conduza a uma tomada de consciência e para a defesa dos valores da empatia.

Os interessados deverão solicitar ficha de inscrição, contactando a seção infantojuvenil pelo número de telefone 295 401 000, ou enviando email para sij.bparlsr@azores.gov.pt.

A Direção Regional da Cultura informa que estes e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal Cultura Açores, no seguinte endereço eletrónico: www.culturacores.azores.gov.pt.