O candidato Paulo Moniz realçou o caso da Fat Tuna em Rabo de Peixe que se dedica à comercialização e exportação de pescado

Paulo Moniz incentiva aposta de empresas em novas tecnologias promovendo exportação de produtos

O cabeça de lista da AD/Aliança Democrática (PSD/CDS-PP/PPM) às eleições legislativas nacionais, Paulo Moniz, enalteceu “uma aposta clara nas novas tecnologias para as pequenas e médias empresas, visando a promoção e exportação dos produtos açorianos para mercados internacionais”, afirmou.
 
O candidato realçou o caso da Fat Tuna, em Rabo de Peixe, que se dedica à comercialização e exportação de pescado: “uma pequena empresa que aposta muito nas novas tecnologias, e que é um caso de empreendedorismo de sucesso, colocando nos mercados continental e até fora do país, produtos açorianos de excelência”, avançou.
 
“Trata-se de uma empresa jovem, que cresceu em número de trabalhadores e volume de negócios, e que usa as novas tecnologias para encurtar a distância que nos separa dos grandes mercados, onde os nossos produtos singram”, acrescentou Paulo Moniz.
 
“Mas a verdade é que os Açores continuam a ter um défice na capacidade de carga que vem para região e, especialmente, na capacidade de carga para exportar os nossos produtos. Trata-se de uma dimensão fundamental que é urgente melhorar”, adiantou o candidato.
 
“As empresas açorianas têm, já de si, de lidar com as tais dificuldades naturais da nossa dispersão geográfica e da distância aos grandes centros, pelo que não podem ter nos transportes uma dificuldade acrescida”, disse o cabeça de lista da AD/Aliança Democrática à República.
 
“Não se está a pedir nada de mais, apenas a criação de condições para que um empresário dos Açores não tenha mais dificuldades que um empresário de Bragança para colocar os seus produtos no mercado a que se destinam”, disse também Paulo Moniz.
 
“A solidariedade, em termos de coesão territorial não pode ser uma palavra vã na boca de um ministro ou de um primeiro-ministro, tem sim de se traduzir em políticas que ajudem as empresas”, concluiu o cabeça de lista da AD/Aliança Democrática.

Comissão Vitivinícola da Bairrada anuncia 2.ª edição do evento AQUI NA BAIRRADA

Nos dias 07 e 08 de Maio de 2022

 

Na vinha, a poda marca o início de um novo ciclo. É também o que esperamos para o ano que acaba de começar; contamos que 2022 nos traga um forte abrandamento na pandemia – se possível, o seu fim – e o regresso aos eventos presenciais. É com este pensamento que a Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) anuncia o regresso do AQUI NA BAIRRADA (ANB). Depois de dois anos de interregno, voltamos a celebrar os vinhos, a gastronomia e a cultura bairradina neste grandioso evento, que tem data marcada para os dias 07 e 08 de Maio, em Anadia.

 

Realizado “aqui, na Bairrada” é uma, senão a maior, mostra de espumantes, vinhos e sabores da região. Estreou-se em Setembro de 2019, data que coincidiu com o lançamento da nova identidade e marca Bairrada. A pandemia da Covid-19 roubou-lhe o protagonismo em 2020 e 2021, sendo que neste regresso, em 2022, há novidades: uma delas é a mudança da data no calendário, com a transição para o mês de Maio; há outras, mas ainda por revelar. O local mantém-se, com “palco” no Pavilhão de Desportos de Anadia, e a entrada é livre. A compra do copo oficial da Bairrada (€3,00) fica reservada para quem quiser provar os vinhos e espumantes presentes na mostra de vinhos ou à mesa dos espaços de restauração local.

 

A Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) volta assim a desafiar os produtores da região demarcada a pôr à prova os seus néctares, desde grandes referências aos seus mais recentes rótulos. Entre espumantes, brancos, rosés e tintos – todos com certificação de Denominação de Origem DO Bairrada ou IG Beira Atlântico –, será dado relevo à diversidade e à qualidade dos néctares, bem como à tipicidade do terroir bairradino ou não estivéssemos nós na época do ano habitualmente dedicada à vindima, com as vinhas e as adegas a ocuparem o centro das atenções de quem se dedica a tão nobre actividade. A afirmação da identidade da Bairrada também é feita com a sua gastronomia, onde o leitão será rei, acompanhado do famoso pão da Mealhada e de outras iguarias, algumas doces.

 

A organização do AQUI NA BAIRRADA está cargo da Comissão Vitivinícola da Bairrada, da Rota da Bairrada e do Município de Anadia, com o apoio da entidade Turismo do Centro de Portugal e do Instituto da Vinha e do Vinho.

 

AQUI NA BAIRRADA – Beber e Saborear – 2022

Local: Pavilhão de Desportos de Anadia

Morada: Montouro, 3780-243 Anadia

Datas: 07 e 08 de Maio de 2022

Entrada: Livre

Valor Copo: €3,00 – quem quiser provar, tem que adquirir o copo Bairrada

 

Diagnosticados nos Açores 1.082 novos casos positivos de covid-19

AUTORIDADE SAÚDE REGIONAL DOS AÇORES

Covid Últimas 24 horas:    

   

Diagnosticados nos Açores 1.082 novos casos positivos de covid-19, sendo 655 em São Miguel, 213 na Terceira, 99 no Pico, 73 no Faial, 15 em São Jorge, 14 nas Flores e 13 em Santa Maria, resultantes de 4.942 análises. 

Em São Miguel foram registados 280 novos casos no concelho de Ponta Delgada, 200 no concelho da Ribeira Grande, 52 no concelho de Vila Franca do Campo, 47 no concelho da Lagoa, 39 no concelho da Povoação e 37 no concelho de Nordeste.  

Na Terceira foram diagnosticados 139 novos casos no concelho de Angra do Heroísmo e 74 no da Praia da Vitória.  

No Pico há 34 novos casos positivos no concelho das Lajes, 34 no da Madalena e 31 no de São Roque.  

O Faial registou 73 novos casos no concelho da Horta.  

Em São Jorge foram diagnosticados 15 novos casos positivos no concelho de Velas.  

Nas Flores foram registados sete novos casos no concelho de Santa Cruz e sete no concelho das Lajes.  

Em Santa Maria há 13 novos casos no concelho de Vila do Porto.  

Internamentos:       

À data de hoje estão 41 pessoas internadas, sendo 29 no Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel (quatro em cuidados intensivos), 10 no Hospital de Santo Espírito da ilha Terceira (um em cuidados intensivos) e dois no Hospital da Horta (um em cuidados intensivos).  

Recuperações:       

Nas últimas 24 horas foram registadas 375 recuperações.   

Óbito:  

Nas últimas 24 horas registou-se um óbito por Covid-19, em São Miguel, de uma mulher de 95 anos. Era residente nos Arrifes, concelho de Ponta Delgada, estava internada desde o dia 7 de janeiro corrente e não estava vacinada. 

Situação atual:      

O arquipélago regista presentemente 4.594 casos positivos ativos, sendo 3.223 em São Miguel, 731 na Terceira, 278 no Pico, 238 no Faial, 45 em São Jorge, 43 nas Flores e 36 em Santa Maria.  

Desde 31 de dezembro de 2020 e até 19 de janeiro corrente, 204.963 pessoas tinham nos Açores a vacinação primária completa (86,7%) da população e 70.530 tinham já recebido a dose de reforço (29,8%). 

o Município de Ponta Delgada passa a poder trabalhar de forma articulada e em rede com o Alto Comissariado para as Migrações e com as demais Autarquias do país

Ponta Delgada faz parte do projeto-piloto nacional Integrar Valoriza

A Câmara Municipal de Ponta Delgada acaba de assinar o protocolo que, em conjunto com outros municípios do país, coloca a maior autarquia dos Açores na Rede Integrar Valoriza.

O protocolo foi assinado entre os vários municípios e a Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, tendo decorrido esta tarde uma cerimónia online sobre este projeto-piloto, durante a qual a Vereadora do Desenvolvimento Social da Câmara Municipal, Cristina Canto Tavares, destacou as várias valências de Ponta Delgada em benefício da população migrante e com vista à sua integração na sociedade onde se insere.

A autarca afirmou ser “uma honra para o nosso Município fazer parte desta grande iniciativa que vem precisamente ao encontro do trabalho que a nossa autarquia tem vindo a desenvolver, há já largos anos, com a Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA), e que levou, inclusivamente, à criação do Dia Municipal para a Igualdade”.

Destacou, ainda, o Projeto Social Casa dos Manaias, uma vez que grande parte dos nossos utentes são repatriados e o nosso trabalho é ajudá-los através de um acompanhamento permanente e da integração na sociedade.

Por outro lado, salientou, ajudamos várias famílias migrantes, através do Fundo Municipal de Emergência, e mais concretamente no apoio ao arrendamento.

Cristina Canto Tavares afirmou, entretanto, que a Câmara Municipal também integra a Rede de Atendimento ao Cidadão Migrante. Uma rede entre os serviços de atendimento ao público das Câmaras Municipais da região e os serviços de atendimento ao público da Direção Regional das Comunidades . Trata-se da Rede Regional de Contactos Municipais para as Migrações.

Neste sentido, acrescentou, “as políticas públicas e as linhas de ação dos vários poderes instituídos devem considerar princípios como a não discriminação, a inclusão, os direitos humanos e a garantia de serviços públicos universais de qualidade”.

Segundo a Vereadora, a Câmara Municipal de Ponta Delgada, em parceria com as instituições ligadas aos migrantes, trabalha com o objetivo de  “combater desigualdades e encontrar oportunidades”.

“É nosso dever assegurar o exercício dos direitos dos migrantes e dos seus familiares através de políticas de proteção social e criando oportunidades para o desenvolvimento económico e integração social, cultural e política” – acentuou, acrescentando que “Ponta Delgada orgulha-se de ser um Concelho onde sobressai o humanismo, o saber receber bem, o respeito e a tolerância”.

Segundo adiantou, “respeitamos a identidade cultural de todos os que fazem parte da nossa sociedade, cada vez mais inclusiva. No entanto, torna-se necessário prosseguir os esforços com vista ao envolvimento coletivo e, ao mesmo tempo, fortalecer a consciência positiva relativamente ao fenómeno das migrações e do diálogo intercultural”.

Para Cristina Canto Tavares, “o protocolo que agora assinamos vai ajudar-nos a ser ainda melhores e a prosseguir, com outras ferramentas, o nosso apoio aos migrantes que escolheram o Concelho de Ponta Delgada para viver. Este novo instrumento vai permitir aos migrantes uma maior integração, através de uma rede de contactos municipais de primeira linha, e garantir uma presença de proximidade”.

Com a assinatura do protocolo em apreço, o Município de Ponta Delgada passa a poder trabalhar de forma articulada e em rede com o Alto Comissariado para as Migrações e com as demais Autarquias do país.

Artur Lima afirmou que “nesta matéria, como noutras, o Governo Regional dos Açores está atento e não abdica de reivindicar as melhores soluções para os Açorianos”.

Governo Regional dos Açores garante pagamento de apoios a ex-trabalhadores da COFACO, anuncia Artur Lima

O Vice-Presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, anunciou hoje que a Vice-Presidência do Governo e a Secretaria de Estado da Segurança Social alcançaram uma “plataforma de entendimento e de compromisso” para a “aplicação efetiva do programa especial de apoio aos ex-trabalhadores da COFACO”.

Segundo Artur Lima, em resultado de uma “postura construtiva” e de um “diálogo responsável” entre as partes, “ficou estabelecido que o processamento dos apoios sociais devidos será feito no corrente mês e o respetivo pagamento na primeira quinzena de fevereiro”.

“O que importa salientar é que a lei será finalmente aplicada e os trabalhadores e as suas famílias poderão usufruir dos apoios que merecem”, salientou. 

“Mas para que este processo decorra conforme referi, é necessário que todas as partes envolvidas honrem e cumpram os compromissos agora assumidos”, defendeu.

Durante a conferência de imprensa promovida hoje, em Angra do Heroísmo, Artur Lima lamentou que o “Governo da República, suportado, nos últimos seis anos, a nível parlamentar, pelo PS, BE e PCP, tenha protelado tempos demais a regulamentação e aplicação desta lei”.

“É caso para dizer que a esquerda parlamentar, que se diz defensora dos interesses dos trabalhadores, esqueceu-se das obrigações do Estado nesta matéria”, ressalvou.

Segundo o Vice-Presidente do Governo, a “persistência” do Governo Regional na “salvaguarda dos interesses dos ex-trabalhadores da COFACO” e a sua “firmeza na defesa autonómica” permitiu que o Governo da República “corrigisse a injustiça social que criou”.

Artur Lima afirmou, por fim, que “nesta matéria, como noutras, o Governo Regional dos Açores está atento e não abdica de reivindicar as melhores soluções para os Açorianos”.

a deputada Alexandra Manes lembrou “que nenhum artigo previa a possibilidade de serem criadas exceções pelo Governo”

Parlamento reconhece que o Governo Regional ultrapassou as suas competências ao criar exceções para uso de herbicidas com glifosato

O parlamento dos Açores reconheceu hoje que o Governo Regional ultrapassou as suas competências ao ter criado um regulamento que contrariava a lei. Em causa está a proibição do uso de herbicidas com glifosato em espaços públicos que o Governo Regional quis contornar ao criar exceções que não estavam previstas na lei. Hoje, o parlamento aprovou uma proposta do Bloco de Esquerda que revoga as exceções indevidamente criadas.

A legislação aprovada em 2020 por iniciativa do Bloco é muito clara: “proibir a utilização de glifosato em espaços públicos nas zonas urbanas, zonas de lazer e vias de comunicação”, salientou a deputada Alexandra Manes, que lembrou “que nenhum artigo previa a possibilidade de serem criadas exceções pelo Governo”.

“O que aconteceu é muito claro: o PSD, que votou contra a proibição da utilização de herbicidas com glifosato em espaços públicos na legislatura passada, mas foi derrotado nesta votação, aproveitou-se do facto de ter passado, entretanto, a liderar o Governo Regional, e usou esse poder para contornar uma lei com a qual não concorda”, acusou a deputada do Bloco de Esquerda.

A legalidade foi reposta hoje com os votos favoráveis do Bloco de Esquerda, PS, PAN, e IL.

“Com esta votação e este resultado, o parlamento reconheceu que o Governo Regional ultrapassou as suas competências” e ficou assegurado que “o que é aprovado por decreto legislativo regional não pode ser contrariado por qualquer governo”, assinalou António Lima, no fim do debate.

O parlamento assinalou que “o Governo errou” e o “Governo tem que refletir sobre o resultado desta votação”, concluiu o líder parlamentar do Bloco.

Governo da coligação está a relançar o Ensino Profissional nos Açores

O deputado do PSD/Açores Flávio Soares afirmou que o governo da coligação está “a relançar o Ensino Profissional no arquipélago”, invertendo “o processo de declínio para que este foi atirado pelos anteriores executivos”, afirmou.


 
Numa declaração política feita no plenário da Assembleia Legislativa, o social democrata salientou o objetivo “de elevar o nível de formação e qualificação das próximas gerações de açorianos, que está a ser levado a cabo pelo executivo”, disse.


“Em pouco mais de um ano, este governo tomou medidas relevantes, definindo uma verdadeira estratégia de formação profissional, criando o Fórum Regional da Qualificação Profissional, e aproximando as escolas profissionais, as entidades formadoras e as empresas, com o programa ‘Form.Açores’ e com a implementação do Ensino Dual, que coloca os alunos do ensino profissional em contexto laboral”, elencou.
 
O parlamentar sublinhou que atualmente se verifica “uma evidente escassez de mão-de-obra qualificada em diferentes setores de atividade da economia regional,”, pelo que “não se podia adiar mais este relançamento dos cursos profissionais, cuja importância foi posta em causa nos últimos anos”, lembrou.
 
Segundo Flávio Soares, “os anteriores governos demitiram-se de apostar no ensino profissional. Ao mesmo tempo que prometiam mundos e fundos para este nível de ensino, os anteriores governantes cortavam o financiamento das escolas profissionais”.
 
“Enquanto faziam elogios ao ensino profissional recusavam sempre fazer os necessários diagnósticos acerca das áreas em que era necessário apostar”, acrescentou.
 
Com isso, “na última década assistiu-se a uma redução de quase 30% no número de cursos profissionais. Os cortes no financiamento levaram a que a grande maioria das escolas profissionais tenha passado a funcionar a 50% da sua capacidade”.
 
Para o deputado do PSD/Açores, “é de primordial importância inverter o processo de declínio para que o ensino profissional nos Açores foi atirado pelos anteriores governos”.
 
Para Flávio Soares “pode-se ir mais além, aproveitando as oportunidades do próximo Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia”, com o qual “os Açores deverão convergir com os indicadores médios europeus, pois atualmente só um terço dos alunos açorianos frequentam os cursos profissionais”.
 
“Assim como é necessário abranger todas as ilhas e concelhos da Região com ofertas de formação profissional, definindo áreas vocacionais em função da sua realidade e promovendo a especialização das escolas profissionais”, sublinhou.
 
“Mas é por todas as medidas já tomadas que felicitamos o Secretário Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, pelo rasgo e ambição da sua equipa em prol do ensino profissional nos Açores”.
 
“E encorajamos o Governo Regional a prosseguir esta tarefa de relançar, pois os primeiros indicadores do trabalho do Executivo são promissores”, concluiu.

“Neste momento está pronta mais uma enfermaria com 26 camas no Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel, para eventual necessidade” declarou Berto Cabral. 

O Diretor Regional da Saúde, Berto Cabral, anunciou hoje a abertura de mais uma enfermaria covid-19 no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, para atender ao aumento dos internamentos naquela unidade de saúde.

 

“Neste momento está pronta mais uma enfermaria com 26 camas no Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel, para eventual necessidade”, declarou Berto Cabral. 

“Mais do que o número de casos positivos, estamos a dar particular atenção às pessoas internadas e em cuidados intensivos”, referiu ainda, deixando nota de que os números de quarta-feira revelam “quatro pessoas internadas com idade inferior a 50 anos, com um ponto comum: nenhuma delas estava vacinada”.  

Berto Cabral insistiu na importância da vacinação contra a covid-19, sublinhando que a mesma “fez toda a diferença, para lá das características de cada variante”.

E defendeu que “se houve alguma coisa que fez mudar o número de óbitos, de internamento e de cuidados intensivos foi a vacinação”.

“Olhamos para os números e vemos que todas as pessoas até aos 50 anos internadas nos Açores são não vacinadas, é uma evidência da importância que a vacinação tem e tem de continuar a ter na gestão da pandemia”, sustentou.

As declarações do Diretor Regional da Saúde foram proferidas à margem da visita à escola Infante D. Henrique, em Angra do Heroísmo, esta manhã, para assinalar o arranque do processo de testagem aos alunos dos 1.º e 2.º ciclos, nas ilhas de São Miguel e Terceira, cujo universo ronda os 11 mil.

Berto Cabral considerou “fundamental” a concretização deste processo “para que as escolas possam ter a sua atividade o mais normal possível”. 

Por outro lado, o Diretor Regional da Saúde confirmou a chegada aos Açores, na próxima segunda-feira, do lote de vacinas destinado às crianças entre os 5 e os 11 anos, e referiu que o processo arranca logo no dia seguinte já que “cada unidade de saúde de ilha, e tendo em conta a especificidade de cada uma, quer seja na dimensão da população, quer seja também no número de recursos humanos que terá para oferecer, irá adotar o modelo que for mais funcional”. 

“Em São Miguel prevê-se que seja em Casa Aberta, na Terceira a Unidade de Saúde vai fazer com agendamento”, especificou, sobre a inoculação de crianças