Joaquim Machado é primeiro subscritor da moção e recandidata-se a mais um mandato na liderança dos TSD/Açores

TSD/Açores reúnem em Congresso e debatem desafios do Emprego até 2030


 
“Emprego e dignidade” é o título da moção global de estratégia que os TSD/Açores vão debater no seu IX Congresso Regional. A reunião magna daquela estrutura autónoma do PSD/Açores decorre este fim de semana, na Praia da Vitória, envolvendo a participação de mais de 70 delegados do arquipélago.
 
Joaquim Machado é primeiro subscritor da moção, e recandidata-se a mais um mandato na liderança dos TSD/Açores. No documento, que servirá de orientação política para os próximos três anos, o presidente da estrutura defende novas políticas para velhos problemas da Região, afirmando que “seria um erro gravíssimo persistir nas mesmas políticas, apesar de novos protagonistas, esperando resultados diferentes dos obtidos durante a governação socialista”
 
Nos domínios do emprego e do movimento sindical, as áreas de intervenção dos TSD/Açores, a moção considera a qualificação dos recursos humanos como condição primordial para o crescimento da produtividade e a criação de riqueza e, consequentemente, o surgimento de postos de trabalho, condignamente remunerados.
 
Nesse contexto, defende Joaquim Machado, avulta a importância do sucesso educativo, sendo necessário “devolver à Escola a qualidade e o rigor, a exigência e o mérito, únicos valores capazes de promover a excelência”. É igualmente necessário dignificar o ensino profissional, reconhecendo o seu valor intrínseco e reposicioná-lo no contexto formativo regional em razão da procura conjuntural e, principalmente, a partir de estudos projetivos sobre futuras tendências do mercado de emprego dos Açores, acrescenta.
 
No tocante à Função Pública, um dos objetivos a prosseguir é a motivação  dos trabalhadores depois de anos consecutivos de congelamento das carreiras e vencimentos. Já o provimento dos quadros dos serviços, sendo competência dos poderes próprios da Região, deverá ser um instrumento decisivo na redução da precariedade e estabilização profissional dos seus agentes, compatibilizando-se este objetivo com o da racionalização dos recursos e boa gestão da tesouraria pública.
 
Como desafios para um futuro muito próximo, além da resolução do défice demográfico dos Açores, a moção global de estratégia identifica o teletrabalho e a automação, no decurso da chamada revolução 4.0, com impacto direto na organização e conteúdo funcional do trabalho, e bem assim a emergência de novas profissões e desaparecimento de outras, tidas por imutáveis. Tudo isso, aponta Joaquim Machado, “com múltiplas implicações na regulação dos deveres e direitos dos trabalhadores e das suas entidades patronais”.
 
A concluir, no documento orientador para a ação política dos TSD/Açores afirma-se que, “quando a economia for mais pujante, quando as empresas forem mais eficientes e rentáveis, necessariamente isso significará mais qualidade e estabilidade no mercado de trabalho, mais emprego e dignidade”.
 
O IX Congresso Regional dos TSD/Açores tem a abertura agendada para as 18h00 da próxima sexta-feira (dia 17), na Escola Profissional da Praia da Vitória. A eleição dos órgãos regionais será na tarde de sábado (dia 18), seguindo-se a sessão de encerramento às 17h00, com a presença do líder do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s