“No final de 2024 o atual Anel CAM deixará de existir e estará em causa a interligação direta entre a Região Autónoma dos Açores e o Continente” referem os jotas laranjas 

JSD/Açores reforça urgência da substituição dos cabos submarinos que ligam Região ao Continente


 

 

“Interligados pelo Mar” é tema da moção sectorial da JSD/Açores, a apresentar no 27º Congresso Nacional da JSD, que se realiza até domingo, em Almada, e onde se reforça a urgência da substituição dos cabos submarinos que ligam a Região ao Continente.
 
“Pretendemos ser mais uma voz, a juntar a tantas outras, a chamar à atenção da importância dos cabos submarinos e da urgência na substituição dos mesmos. No final de 2024, o atual Anel CAM deixará de existir, e estará em causa a interligação direta entre a Região Autónoma dos Açores e o Continente”, referem.
 
Os jovens social-democratas açorianos defendem que “é urgente a intervenção e a substituição desses cabos submarinos, de forma a manter as comunicações eletrónicas que asseguram a coesão social e territorial de Portugal e da União Europeia”, diz a moção a apresentar este fim de semana.
 
“Esperamos que esta operação possa arrancar o mais breve possível, como o PSD já vem alertando há tanto tempo, de forma a evitar possíveis situações de antecipação de retirada do serviço operacional de sistema”, reforça a comissão política regional presidida por Luís Raposo.
 
“Em causa está a instalação de um novo Anel, que deverá ficar em operação durante 25 anos, garantindo a ligação direta entre o Continente e as Regiões Autónomas, sem recorrer a países terceiros”, explicam.
 
“Apelamos diretamente à União Europeia e ao Governo da República, para que o novo concurso seja lançado com a máxima urgência, arrancando a obra o quanto antes, e canalizando todos os esforços para que a autonomia e a coesão territorial não enfraqueçam nem quebrem”, acrescentam.
 
Para os Açores, “esta deve ser vista como uma oportunidade para capitalizar investimento, pois permite a expansão para novos mercados, onde podem surgir novas profissões e novas formas de adaptação às atividades profissionais, combatendo também o isolamento da Região”, diz ainda a missiva da JSD/Açores.
 
A moção sectorial destaca igualmente que o contributo que os cabos submarinos podem dar “para lá nas comunicações, como na deteção e alerta de atividade sísmica, tão importante para a segurança das nove ilhas e de todos os seus habitantes, que lidam frequentemente com tais situações, como atualmente acontece na ilha de São Jorge”, concluem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s